Unindo aliados, Cartaxo retoma modelo de fazer política

Na Paraíba, o conceito de fazer política está sendo retomado a custa de um entendimento comum, principalmente de ver a população com outros olhos e o pensamento voltado ao bem estar da coletividade. Neste sentido, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) adota uma postura de gestão unindo o Executivo e o Legislativo. Parece, até, que o novo modelo ele trouxe das terras europeias, onde esteve descansando por 15 dias antes de colocar em prática o novo modo de gerir a cidade.

Cartaxo, mais do que um prefeito de uma cidade que desenvolve, prefere compartilhar as ações administrativas com os vereadores, aqueles, óbvio, da bancada de sustentação do Governo do Município. Ontem, ele reuniu os parlamentares e fez uma espécie de “balanção” e expôs o que já foi feito desde 2013 para cá e as metas para o futuro. Discordou da velha política de desunir os aliados, se posicionando contrário a formação de blocos dentro da base.

Foi compreendido por todos que estiveram presentes ao encontro. Prova é que os lideres do suposto movimento deram um apagão nesta história. “Se temos o líder (Helton Renê) da bancada porque estimular grupos”, disse a amigos. Sem dúvidas, não tem sentido e só faz estimular conflitos dentro de um grupo que parece sólido. Saiu uma proposta que Cartaxo endossou de pronto.

Aliás, a proposta que o prefeito já havia ventilado em outra ocasião e não foi por causa do já “morto” e malfado “grupos alternativos”, considerado aqui mesmo espaço como uma “ideia de Jerico”. Tanto é verdade que não vingou e agora mais ainda, que Cartaxo assinou em baixo um encontro desse uma vez por mês, também reuniões semanais dos vereadores de sua base política.