Sai, Renan, sai; assim ordenou o ministro Marco Aurélio Mello

Devagarzinho, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) está sendo jogado para fora da Presidência do Senado da República. Nesta segunda-feira (5), um dia após as manifestações em todo o Brasil que pediram o afastamento do político alagoano, o ministro Marco Aurélio Mello ouviu as vozes rocas das ruas e passou-lhe a caneta, afastando do posto atendendo uma ação da Rede de Sustentabilidade.

Partido de Marina Silva, então candidata a Presidência da República em 2014, sustentou que convertido em réu pelo STF na semana passada, estaria impedido de permanecer num cargo na linha sucessória do presidente Michel Temer. Ainda cabe recurso, mas vai ser substituído pelo senador petista Jorge Viana, vice do Senado.

Em seu parecer, Marco Aurélio deu razão ao Partido Sustentabilidade. Em seu despachou, o ministro anotou: “Defiro a liminar pleiteada. Faço-o para afastar não do exercício do mandato de senador, outorgado pelo povo alagoano, mas do cargo de presidente do Senado o senador Renan Calheiros. Com a urgência que o caso requer, deem cumprimento, por mandado, sob as penas da Lei, a esta decisão.”