Cássio reage a tentativa de Renan intimidar a Lava Jato

Mesmo licenciado de suas atividades parlamentares, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), também afastado da liderança do seu partido, tem sido chamado a dar opiniões sobre os temas nacionais. Acontece num momento de estabilidade da política, em que a investigação da Operação Lava Jato, já em sua trigésima quinta etapa, está em pleno vapor. Pois bem. Cássio foi de encontro a tentativa do seu colega de parlamento Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado.

Renan tem pressa em aprovar um projeto que “pune autoridade por abuso de poder”, de policiais e procuradores, por exemplo. E Cássio foi ao ponto: “Inoportuno sob todos os aspectos”. Diz-se que o presidente do Senado conta com o apoio do PT e políticos investigados e, segundo a mídia nacional, a iniciativa é vista como uma tentativa de intimidação a ação da Operação Lava Jato.

Está longe de ser consensual ou mesmo prioritário, para merecer tanta pressa, o projeto do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) que pretende “punir abuso de autoridade” de policiais e procuradores. Ainda licenciado, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) acha o projeto “inoportuno sob todos os aspectos”. Com apoio do PT e políticos investigados, é vista como tentativa de intimidar a ação da Lava Jato.

Assim como Renan Calheiro, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) é um dos investigado e foi indicado pelo presidente da Casa para relator do projeto. Acerca do assunto, Jucá já antecipou qual será o seu parecer na hipótese de vingar o projeto: “Quem abusa desautoriza as demais autoridades”, diz.

Cássio voltou a carga acerca do tema: “Não há nenhuma prioridade neste sentido”, comentou sobre o projeto de Renan. Adiante, o senador paraibano concluiu: “Tende a irritar ainda a sociedade”.