Com 2.111 votos, Elvis pode assumir cadeira em BRS

Chama-se Elvis (foto) o nome da vez para assumir o mandato de deputado federal, caso Manoel Júnior (PMDB) opte pelo afastamento da Câmara Federal neste período da campanha de João Pessoa. Talvez, você não conheça “Elvis”, mas ele é o segundo suplente do pemedebê que poderá ascender a vaga de titular, cuja hipótese não está definitivamente afastada.

Basta o deputado Manoel Júnior confirmar a licença para se dedicar a campanha do principal colégio eleitoral da Paraíba, onde é vice na chapa à reeleição do prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Até aí tudo bem se a dança de cadeira não viesse acompanhada dos números.

Algo que só a legislação eleitoral explica. Pois bem, Elvis obteve apenas 2.111- isso mesmo, dois mil, centro e onze – votos na eleição de 2014, mas ainda assim poderá ser chamado a assumir o mandato na condição de segundo suplente, pois o primeiro André Amaral (PMDB), com 6.552 votos já ascendeu a titularidade na vaga de Veneziano Vital do Rêgo, que está licenciado para disputar à sucessão em Campina Grande.

Mas lá vem a distorção: enquanto Elvis com pouco mais de 2 mil votos está prestes a assumir o mandato, o ex-senador Marcondes Gadelha (PSC), por ser suplente de uma coligação com o PSDB, mesmo com mais de 60 mil votos na última eleição, está fora do mandato.

Ou seja, André Amaral e Elvis estão num plano superior a Gadelha, independente da quantidade de votos obtidos nas eleições de 2014. Concluindo, Veneziano e Manoel Júnior tiveram 177.680 votos e 105.693 votos, respectivamente.