PSDB e PMDB: verbo tem que ser conjugado no presente

Ao sugerir aos peemedebistas a indicação do nome a vice na chapa de Cartaxo (PSD), o prefeito candidato à reeleição, o PSDB chama o provável sócio da campanha eleitoral deste ano para um amplo acordo a se estender até a campanha de 2018. O sábado (9) foi de inteira movimentação e de muita conversa entre os dois partidos. Querem formalizar a aliança urgentemente, a pretexto ser necessária para o momento político do principal colégio eleitoral do Estado.

Conforme noticiado aqui, os entendimentos estão bastante avançados. Por telefone, o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, disse que “continuamos conversando” e que a estratégia é anunciar o apoio ao prefeito Luciano Cartaxo. “Se não for possível faremos isso individualmente”. Ele quis dizer que os tucanos já estão se preparando para o anuncio oficial.

“Ainda temos tempos e neste período vamos amadurecendo os entendimentos”, comentou o também ex-deputado federal Ruy Carneiro, então candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo senador Cássio Cunha Lima durante a campanha de 2014. “Há esse propósito, avançamos muito nas conversas e, agora, só resta o fechamento”.

A tática dos tucanos é quanto menos falar neste assunto melhor. Só tocar no tema quando tudo já estiver acertado. Mas, a julgar pelos últimos acontecimentos, o PMDB já se desgrudou do PSB, parceiros do segundo turno das eleições passadas. O que se refere é o fato do governo socialista ter rebaixado os peemedebistas para o segundo escalão na última reforma administrativa.

Portanto, o que revelam sobre conversas ocorridas nos bastidores é tudo verdade e que, neste sábado (9), da residência do senador José Maranhão ninguém foi lá fazer apostas da decisão entre Franca e Portugal. Foram tratar das eleições em João Pessoa e de outros municípios, onde houver possibilidade de união de tucanos e peemedebistas e demais aliados.