Partidos fazem farra com dinheiro público: R$ 307 mi

Pode-se dizer que os partidos políticos estão nadando em dinheiro, cujo vil metal a título de Fundo Partidário foi retirado do Tesouro Nacional. As legendas estão montadas em mais de R$ 307 milhões, dinheirama embolsada entre os meses de janeiro e maio. Tem sido gasto em aluguéis, marqueteiros, pessoal e impressão de matérias. É o que se sabe. Afora, o que ninguém tem conhecimento.

Você já pode estar se perguntado sobre o partido que mais embolsou. Claro, o PT da presidente afastada Dilma Rousseff. Foram para as cofres do petismo a soma astronômica de R$ 40,86 milhões, gastos com assessores e aluguel de jatinho particular para seus dirigentes, conforme notícia veiculada na coluna de Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O jatinho alugado para levar Dilma de Brasília para Campinas esta semana, com capacidade para 8 pessoas, custou, só ida, R$ 39,6 mil. Diz a notícia que “habituado a chamar opositores de ‘elite’, o ex-pobretão Lula só viaja de jatinho pago pelo PT, bancada pelo contribuinte”.

O PSDB é o segundo da lista que mais recebeu dinheiro do Fundo Partidário: R$ 33,68 milhões e o PMDB embolsou R$ 32,83 milhões. Para os partidos, como é possível observar, não falta dinheiro. Sobra. Até os considerados “nanicos” estão com os cofres cheios. O PMB, com um único deputado, tomou R$ 439,22 mil, “quantia paga a um certo Partido Novo”, conclui o noticiário do DP.