Socialistas repetiram com JA o que foi feito com Agra

João Azevedo não saiu por quis. João foi “convidado” a desistir da candidatura à sucessão. Um socialista que tem livre trânsito no PSB – coisa rara – disse ao blog que a fritura começou no evento socialista realizado no Esporte Clube Cabo Branco, em Miramar. Ficou combinado que todas as correntes deveriam comparecer, inclusive seriam responsável pela condução de suas “claques”.

O mestre de cerimônia passou um bom período do evento chamando o público para dentro do ginásio, mas ninguém apareceu. A imprensa foi informada sobre a presença de 5 mil pessoas. Não tinha 1,5 mil. João discursou já sabendo do boicote. O governador Ricardo Coutinho falou e, imediatamente, caiu fora. Ele desacostumou-se a falar para pouco gente.

A partir daí, o secretário João Azevedo ficou isolado. Não aconteceu completamente porque o presidente do PSB da Capital, Ronaldo Barbosa, lhe fez companhia. Mas, a partir daquele momento, o clima ficou ruim. JA percebeu que já tinha passado para o “microondas”. Tinha saída da “frigideira”.

Nos bastidores da sigla socialista, informou-se que o grupo liderado pela deputada Estela Bezerra cuidou de desqualificar a candidatura de Azevedo. Isto tinha acontecido em 2012, quando o PSB negou legenda ao então prefeito Luciano Agra, que pretendia concorrer à reeleição. Não pode. Repete-se o feito do passado.

Mas, enfim, qualquer que seja o candidato do Partido Socialista Brasileiro à sucessão de João Pessoa, ela começa com a desconfiança do eleitorado que rejeita postura de jogar as pessoas na “frigideira” e, achando pouco, ainda leva para o “microondas”.