Oposição monta estratégia para escolha de um líder de verdade

Monta-se uma estratégia para a escolha do próximo líder da bancada de oposição. O deputado Renato Gadelha já sabe que não será reconduzido. Não fez um bom trabalho em 2015. Não articulou nada e, ainda, deixou passar em brancas nuvens matérias votadas e aprovadas em plenário deixando o bloco a ver navios no plenário. Não é exagero nenhum, mas o modo que Gadelha conduziu o grupo foi muito criticado entre quatro paredes.

Sua permanência na liderança é considerada como uma “hipótese”, conforme contou o deputado Raniery Paulino em conversa com o blog. Porém, não é uma coisa bem vista. A definição deveria ocorrer nesta terça (16), mas não foi o momento adequado para a escolha por causa da ausência de deputados. Foi transferida para a próxima semana e surgem dois nomes: Bruno Cunha Lima e Danielle Ribeiro.

Os dois devem ser os próximos lideres. Explica-se: um da bancada de oposição e outro do “blocão”, este último posto estava confiado a Dinaldinho Wanderley, que deixa porque deverá concorrer à sucessão municipal de Patos. A oposição quer ser mais dinâmica este ano, até porque alertou o ano passado os problemas de crise econômica do governo. O governador Ricardo Coutinho sentiu o golpe à época, mas só este ano reconheceu que a maré não está pra peixe.