Petistas paraibanos deixam a vergonha de lado e vão à luta

O PT de João Pessoa se deu conta de que não há outro caminho que não seja lançar candidatura própria as eleições da capital. Afinal de contas, com o partido envolvido em escândalos de corrupção, qual outro partido que deseja sua companhia como aliado? Nenhum, claro. Só, a legenda tentará reencontrar o seu rumo e buscar convencer o eleitorado que a legenda foi envolvida numa grande trama.

Você acredita?

Pois bem, como Charlinton Machado nada tem a ver com os petistas envolvidos com a corrupção, a ladroagem do dinheiro da Petrobras, então comandará o partido nas eleições de João Pessoa, principal colégio eleitoral do Estado. Presidente estadual do Petê, ele foi aclamado pré-candidato e parece que gostou da ideia.

“Estamos aqui para mostrar que o governo do PT fez muito pela Paraíba, fez muito por João Pessoa. Então, se fomos comparar sairemos ganhando o jogo das comparações”, disse e antecipou qual será o mote de sua campanha.

Na noite passada, os petistas aprovaram uma resolução. Veja abaixo o teor do documento:

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores – DM/PT-JP reunido em 26/01/2016, no uso das atribuições que lhes são conferidas pelo estatuto partidário, bem como no que concerne às eleições municipais deste ano e considerando que:

I – O PT é um partido com inserção política e social no município de João Pessoa, de raízes populares e com forte articulação com os movimentos sociais, tendo lançado candidatura majoritária na cidade em sete das oito eleições municipais desde 1985.

II – O partido dispõe de nomes, experiência administrativa e propostas que lhe credenciam a estar no centro do debate sobre os rumos da cidade. O governo municipal, na atual conjuntura, se resume a executar programas do governo federal. Além disto, deixa de captar recursos em muitas áreas, como, por exemplo, a mobilidade urbana e não aplica recursos já destinados, a exemplo de emendas parlamentares, configurando incapacidade de gestão pública. Atualmente, a cidade de João Pessoa, apesar de sua considerável arrecadação, encontra-se completamente incapaz de realizar investimentos com recursos próprios.

III – O programa de gestão da cidade eleito em 2012 foi construído a partir de reuniões setoriais com diversos segmentos da sociedade, incorporando sugestões de várias forças políticas, sociais e contribuições de especialistas, por meio de eventos como o “Inova João Pessoa” e finalmente apresentado pelo Partido dos Trabalhadores.

IV – Ao romper com praticamente todos os aliados que projetaram a sua candidatura e deixar o PT, guiando-se por um projeto político conservador, o atual prefeito desprezou o programa vitorioso no pleito que o elegeu, legitimado pela maioria do eleitorado.

V – João Pessoa não pode ficar premida, por um lado, entre um presente conservador e, por outro lado, por uma visão meramente gerencial de governo, precisando formular propostas e apontar alternativas que indiquem para uma cidade mais humana, com qualidade de vida, serviços públicos universais e de qualidade, e participação efetiva dos cidadãos e cidadãs no planejamento de seus rumos e suas prioridades.
Resolve:

a) Deliberar pelo lançamento de candidatura própria para prefeito de João Pessoa nas eleições de outubro próximo, assegurando o debate nas instâncias e o direito estatutário de qualquer outro filiado ou filiada a pretensão de pré-candidatar-se, observando o calendário de definição de tática eleitoral de 2016.
b) Priorizar a construção de um programa de governo atualizado com os atuais e futuros desafios do desenvolvimento urbano, em sintonia com as mais avançadas experiências que estão sendo desenvolvidas no Brasil e do mundo na perspectiva de uma cidade sustentável.

c) Apresentar o nome do professor da UFPB, Charliton Machado, como pré-candidato a prefeito. Educador, pesquisador, gestor da educação e ativista das lutas por direitos sociais, Charliton apresenta-se como uma opção partidária visando qualificar o debate eleitoral e liderar uma alternativa política e um bloco de forças sociais e partidárias que aponte para a construção da João Pessoa com que tanto sonhamos.

d) Eleger o vice-presidente Anísio Maia Filho como coordenador da chapa de proporcionais do PT.

e) Organizar uma agenda de plenárias e debates com filiados e a sociedade civil sobre os problemas e soluções para a cidade de João Pessoa, intitulada de “Dialoga João Pessoa’. A primeira plenária ocorrerá em 20/02, no bairro dos Bancários.

João Pessoa, 26 de janeiro de 2016.
DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PT/JP

 


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.