Tudo epílogo depois que Maranhão disse ter entregue o Estado saneado

O que aconteceu em Patos neste sábado (12), durante a passagem do senador José Maranhão – que é presidente do PMDB Estadual? Pode-se afirmar com 100% de segurança que chamou o governador Ricardo Coutinho (PSB) para uma comparação de gestão. “É preciso reconhecer que eu entreguei a Ricardo um Estado saneado, com recursos em cofre, projetos feitos e contratados”.

Pode-se declarar, ainda, sem nenhuma margem de dúvidas, que as obras de recursos hídricos e estradas, conforme o senador Maranhão, “tem a marca do meu governo, a marca do PMDB”. Por algum momento parece ter esquecido que pode ter atingido um aliado, que essas coisas não deve ser dito publicamente, porque para o bom entendedor fica a impressão que o governo socialista tem a missão única de executar as obras.

Mas se Maranhão não propalar o que fez quando esteve a frente do governo quem, então, vai lembrar e manter viva na memória da população a sua gestão. Porém, esse é o discurso que JM deverá usar durante as eleições municipais do próximo ano, inclusive em João Pessoa. Doa a quem doer.

Aliviou o discurso afirmando: “São obras (recursos hídricos e estradas) de imensa importância, que Ricardo vem se esforçando para finalizá-las”. Mas aí o que fica é a sinalização para um rompimento da aliança da campanha de 2014. Até porque o PMDB tem candidatura própria nas principais cidades no próximo ano, inclusive João Pessoa.

A propósito: “Essa decisão é irreversível. Não se fala mais nisso, pois é o que estão dizendo os diretorianos, o bloco monolítico”. Foi o que adiantou o senador Maranhão quando instado a falar sobre a campanha do próximo ano.

Prova disse é que da boca do palco, sem combinar com ninguém do partido ou com aliados, entre eles o governador Ricardo Coutinho, já antecipou o nome à sucessão em 2018: “Hugo Motta é um dos valores do partido”. Ou seja, a campanha para o Palácio da Redenção parece que começou antes da municipal, a julgar pelo cenário montado pelo senador e presidente do PMDB do Estado.

Surpreendeu quando perguntado sobre a situação do deputado Veneziano Vital no partido. O senador Maranhão foi curto e grosso: “Pergunte a ele!”