PSB pode estar vendo naufragar o projeto ‘Azevedo-2016’

Discursando na solenidade de inauguração do Trevo das Mangabeiras, em 31 de agosto, o secretário João Azevedo (Infraestrutura-foto) soou como candidato (pré) a prefeitura de João Pessoa em 2016. Filiado ao PSB, que não pretende ser coadjuvante nas próximas eleições municipais, Azevedo ate ensaiou o sonho de ser o nome do partido.

Porém, pode estar vivendo um momento crucial do encontro do homem com o erro. Azevedo avistou-se com o erro e não tem mais como evitá-lo. A menos que pretenda “morrer” na beira mar da pré-candidatura a prefeito. Percebe-se não ser ele a melhor alternativa, pois não teria no desenvolver da campanha a mesma “malandragem” de um político com mandato.

Seria uma opção se não tivesse opositores já tarimbados em eleições, a exemplo do virtual candidato à reeleição Luciano Cartaxo, atual prefeito e que tem um elenco de obras em desenvolvimento na cidade que não deixa a desejar a nenhum dos antecessores que passaram pela gerência da capital do Estado.

Se a atuação de João Azevedo ensinou alguma coisa, é não esperar dele a desenvoltura de possíveis adversários como Luciano Cartaxo e o deputado Manoel Júnior (PMDB) só para citar dois exemplos. Em conversa com amigos, teria dito o auxiliar de luxo do Palácio da Redenção algo parecido: “É querer exigir o impossível de mim”.

Talvez, por isso, o PSB está recuando da decisão de lançar um candidato próprio nas eleições de João Pessoa. Ou arriscar um iminente fracasso no pleito de 2016.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.