Para Dilma, obras hídricas e programas sociais são prioridades

Em entrevista a uma emissora de rádio de João Pessoa na manhã desta sexta (4), antes de embarcar para uma rápida visita a Paraíba, a presidenta Dilma Rousseff garantiu que obras hídricas, de mobilidade urbana, além dos programas sociais como o “Mais Médicos” e “Bolsa Família”, esse último que ainda mantém o baixo índice de popularidade dela em 7%; não serão prejudicados de “jeito nenhum”.

Como se sabe, com um corte de R$ 30 bilhões no orçamento da União para o exercício financeiro de 2016, mesmo assim, a presidenta jogou no asfalto que a Paraíba não será prejudicada e que os recursos para projetos em andamento virão. Ninguém sabe quando? Falando sobre crise, disse a presidente:

 – Nós optamos por um caminho de transparência e de verdade. Optamos pelo caminho de mostrar a existência desse déficit. Poderíamos ter mandado receitas decorrentes de tributos, mas preferimos deixar tudo às claras para que possamos debater com o Congresso o que podemos fazer para resolver o problema que decorre do fato das receitas terem caído muito.

Bem, a julgar pelos embates com o Congresso Nacional a presidenta pode estar se deparando com uma questão que não sabe, ao certo, se contará que vem a ser o apoio dos deputados federais. O governo, hoje, não tem maioria suficiente para aprovar nada. Tanto é verdade que recuou da proposta de recriação do novo imposto do cheque.

Prosseguindo com sua fala aos paraibanos através das ondas do rádio, Dilma adiantou que os cortes de gastos não atingem os programas sociais, alegando que “não são eles que provocam o desequilíbrio do orçamento”.

Na Paraíba, a presidenta cumprirá agendas em João Pessoa e Campina Grande, cidade onde na campanha passada ela perdeu feio. Mas vai estar lado a lado do prefeito tucano Romero Rodrigues entregando unidades habitacionais do programa “Minha Casa Minha Vida”. Já na Capital do Estado, se reúne com empresários para tratar de programas de investimentos em logística.