Hugo, Petrolão e o São João patrocinado pelo governo Dilma

Em matéria de patrocínio, o São João de Patos bateu de goleada o de Campina Grande, que nem de longe viu a cor dos recursos de empresas públicas que desfilaram na estrutura do evento da cidade gerenciada pela ex-deputada estadual Chica Motta. Vem ser avó do deputado Hugo Motta (PMDB), personagem principal da farra feita pelo governo federal representado nos balões e placas afixadas no “terreiro do forró” pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica, Banco do Nordeste, Chesf e Ministério do Turismo.

Diz-se que a CPI da Petrobras, como se sabe, presidida pelo deputado Hugo, não será a mesma depois do São João de Patos, disparadamente o melhor de todos os tempos. A trilha sonora deverá ser outra e a ameaça ao Palácio do Planalto teria sido feita a partir da convocação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamato, para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito sob o comando do parlamentar paraibano.

Nem o Tribunal de Contas do Estado ousou saber quanto foram gastos na festa de Patos, cuja crise foi literalmente ignorada. Pelo visto, o município não tem problemas nenhum com segurança pública, saúde, educação ou infraestrutura. Os servidores estão com os salários em dia e com percentuais de reajuste de causar inveja a de outros estados e municípios brasileiros.

Se não fosse o governo federal, através do Ministério do Turismo e suas empresas – faltou a Petrobras – a prefeitura não teria condições de bancar atrações como Aviões do Forró, Vitor e Léo e Bruno e Marrone. Foi uma festa para nunca mais esquecer. Vai ficar para sempre na memória dos patoenses, agradecidos a presidente Dilma e seus colaboradores de peso.

Quem não deve ter gostado foi o polêmico presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A filha Daniella Cunha testemunhou como se faz uma festa com dinheiro público e deve ter saído de Patos bastante impressionada. Porém, calou-se porque é assessora de Hugo Motta e recebe R$ 3,5 mil do gabinete do parlamentar.

Mas foi bacana o desfile pelos luxuosos camarotes da festa junina organizada pelo clã dos “Motta”. Quem estava lá dentro não se misturava com o povo. Aliás, “Dona Maria” e “Seu José” não eram vistos e nem sabiam quem eram os convidados de Chica, Hugo e Nabor Wanderley, a grande maioria gente que veio de Fortaleza, Rio de Janeiro…

Ao contrário de Campina Grande, onde é reconhecimento o Maior São João do Mundo, Patos bateu de goleada em matéria de patrocínio, principalmente público federal. Só faltou a Petrobras, empresa que vem sendo investigada pelo deputado Hugo. Essa sim fez falta, muita falta.

A Friboi também esteva presente. Então, não faltou carne para o churrasco.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.