Sobre a violência, procura-se o Ministério Público

Há uma pergunta de um dos vinte e poucos leitores do blog sobre essa insegurança aqui na Paraíba. Você já ouviu uma palavra do Ministério Público sobre essa onda de violência? Sábio, respondeu-me antes que abrisse a boca. – Nenhuma! É verdade, não existe ação do MP neste sentido. Nem que “é preciso fazer alguma coisa”.

Pior: não se tem conhecimento que a instituição protetora da sociedade tenha encaminhado algum oficio ao alto comando da segurança pública do Estado. Leia-se o insistente secretário Cláudio Lima e o comandante Geral da PM, Euler Chaves. O MP, infelizmente, não investiga nada e torce o nariz para as ocorrências.

Lamentável!

Além da lista de mortos, gente de bem, a exemplo do rapaz da padaria em Cabedelo, do comerciante assassinado em seu mercadinho no Cristo Redentor, do cabo PM em Patos… Só para citar os mais recentes. Será que o Ministério Público sabe quantos já foram abatidos. Se não já está em tempo de saber.

Por obrigação, o MP deveria saber quantos paraibanos de bem foram mortos nesta onda de violência. A preocupação é tanta que agora recorre-se ao Ministério Público, que precisa dar uma resposta o quanto antes.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.