Sobre São João, vice lamenta falta de apoio do Estado

Com um texto veiculado nas redes sociais, compilado nos diversos portais, o vice-prefeito Ronaldo Cunha Lima Filho (PSDB) reagiu classificando de “discurso demagógico” a falta de apoio do governo estadual ao São João de Campina Grande, reconhecido nacionalmente e internacionalmente como o “Maior do Mundo”. O Palácio alega a necessidade de reduzir despesas neste momento de crise.

Para o vice-prefeito campinense, o governo ignora a renda e os empregos produzidos durante os 30 dias das festividades juninas. Para justificar a importância do evento para o município, a Paraíba e o Nordeste, Cunha Lima cita pesquisa de uma empresa local e lembra que somente em 2013 circularam pela cidade R$ 160 milhões.

De acordo com ele, somente nos barraqueiros faturaram algo em torno de R$ 8 milhões, provando que o São João de Campina, que chega agora aos 33 anos, antes de ser uma festa, é uma gigantesca indústria, e como tal deve ser encarado. A analisar os números acima citados, o vice-prefeito destacou:

– São milhares de empregos diretos e indiretos e muita riqueza circulando pela cidade.

Prosseguindo com o seu ponto de vista, ele ressalta que o São João de Campina Grande “deveria merecer do Governo do Estado apoio de todas as maneiras, e não, fugir de suas responsabilidades com um discurso demagógico”. Segundo ele, “a conta é simples: “se no período Campina bate recorde de arrecadação de ICMS, está, igualmente, beneficiando todo o Estado…”.

“[…] Ou seja, todos saem ganhando com o evento, inclusive a capital do Estado”, enfatizou.

Avalia que o Maior São João do Mundo é uma “festa indústria” que enaltece o próprio Estado, a medida que gera recursos não apenas para Campina Grande, mas em todo o seu entorno. “É nosso segundo ‘Natal’, capaz de gerar em apenas um mês quase 10 meses de arrecadação anual do IPTU”, sustentou.