Em Santa Rita, alardeia-se o penúltimo ‘absurdo’

Não tem nenhuma operação da Polícia Federal em curso? Bem, poderia fazer uma em Santa Rita, onde os escândalos batem a porta do prefeito Reginaldo Pereira (PRB) a todo instante. A penúltima é o anuncio da contratação da famosíssima banda Aviões do Forró. Inclusive, foi jogado no asfalto que o pagamento foi feito antecipado. Cerca de R$ 300 mil por uma apresentação.

Reginaldo faz o oposto do governo do Estado, que já avisou que não tem dinheiro para as festas juninas desde ano. Enquanto isso, o prefeito torra os recursos da prefeitura numa cidade que pede obras de infraestrutura, de um atendimento de saúde com qualidade e escolas para atender os estudantes do município, localizado na Região Metropolitana de João Pessoa.

Além de Aviões do Forró, que já levou “trezentinho” mil reais, a festa junina em Santa Rita terá outras atrações: “Mala 100 Alça”, “Gabriel Diniz” e “Padre João Carlos”. Este último vem animar a festa da padroeira do município, Santa Rita de Cássio. Você sabe quando a estimativa do custo. Acertou se disse em torno de R$ 1 milhão. Um absurdo para o município que falta tudo, inclusive prefeito.

Enquanto se gasta R$ 1 milhão com festas, os professores da rede municipal de Santa Rita estão em greve desde o último dia 27. Simplesmente, a prefeitura deixou de repassar os recursos enviados pelo Ministério da Educação para o pagamento do reajuste do piso nacional do magistério. “Se gasta tanto com festa, por que o prefeito não olha para o magistério?”, indagou o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Carlos Antônio.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.