Além do impeachment, surge o parlamentarismo!

Bem, o que dizer do parlamentarismo? É algo que precisa ser amadurecido por esse País afora. O momento é ideal para levar essa discussão ao meio-fio, até porque podemos considerar que já existe um enfrentamento neste sentido, inclusive na prática e no dia-a-dia do Congresso Nacional. Deve-se, especialmente, a queda livre da popularidade da presidente Dilma Rousseff.

Em meio a conversas entre os deputados governistas a discussão tem sido neste sentido. Sabe por quê? Ninguém suporta a idéia de ver Dilma no comando desse País pelos próximos anos. E não pensem que esse debate está reservado ao plenário da Câmara Federal, embora seja lá que estão tentando desencavar projetos para mudar o Presidencialismo para o sistema Parlamentarista.

A iniciativa ganha força quando se tem conhecimento da tentativa de recuperar qualquer das propostas de emenda à Constituição (PEC) em tramitação e colocá-la na pauta de votação a qualquer momento, principalmente se a crise continuar e o Planalto seguir com a inércia dos últimos dias.

Os deputados governistas tentam salvar o governo com a proposta de mudança do sistema, mas, enquanto isso, a oposição constrói a fundamentação do projeto de impeachment. Este último ganha cada vez mais força por causa dos protestos de 15 de março.

A ideia dos deputados é fazer da presidente Dilma uma espécie de “rainha da Inglaterra”. Ou seja, uma figura meramente decorativa. Para aprovação de uma PEC e mudar o sistema de governo são necessários 308 votos dos parlamentares. Somando-se à oposição, a matéria passaria com folga. (DP)