Uma pergunta e Efraim Filho foi notícia nacional

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Petrobras, o ex gerente da estatal Pedro Barusco afirmou que em 2003/2004 a corrupção estava instituída e que a partir dessa data os repasses passaram a ser divididos com partidos políticos.

Barusco disse ainda que à comissão que os desvios de recursos na estatal financiaram, em 2010, a Campanha da presidente Dilma Rousseff. Pressionado pelo deputado Efraim Filho (DEM/PB) ele reafirmou “…foi para a campanha presidencial em 2010, na que teve José Serra e Dilma Rousseff. (A doação) foi ao PT, pelo João Vaccari Neto”.

O engenheiro detalhou que o esquema de corrupção envolvia ele próprio, o ex-diretor Renato Duque e o tesoureiro do PT. “Gostaria de esclarecer essa questão de que acusei o PT de ter recebido R$ 200 milhões. O que eu disse é que estimava, que o PT pode ter recebido isso. Se eu recebi porque ele não poderia ter recebido. Cabia a mim uma quantia e cabia ao PT a outra quantia. Não disse se recebeu ou não recebeu. Se foi doação oficial eu não sei. Tinha uma quantia de reserva para o PT receber. Eu tenho conhecimento do que eu recebi”.

Além de Duque e Vaccari, Barusco disse que receberam propina Jorge Zelada, ex-diretor do departamento Internacional da Petrobras, e Roberto Gonçalves, que o sucedeu na gerência da Diretoria de Serviços da empresa. “Quem mais recebeu propina fomos, eu, o diretor Duque e João Vaccari”, explicou.

O ex-gerente disse que a primeira vez que percebeu a formação de um cartel de empreiteiras foi nas obras de construção das refinarias de Abreu e Lima e do Comperj, no Rio de Janeiro. “O cartel a gente sentia que existia, mas não tinha nada concreto. A primeira ação efetiva do cartel que eu pude perceber foi nos primeiros contratos de Abreu e Lima e depois no Comperj”, disse.

Barusco declarou  que começou a receber propina em 1997/1998 por iniciativa própria, mas reiterou que na “forma mais ampla, em contato com outras pessoas, de forma mais institucionalizada, foi a partir de 2003/2004”.

Assessoria