Pedido de cassação de Ricardo repercute na mídia nacional

Por mais que não se leve em consideração o que está posto, o governador Ricardo Coutinho (PSB) vai ter problemas no seu segundo governo. Sua gestão estará contaminada durante bom tempo por causa da ação do Ministério Público Federal, que pede a cassação do seu mandato por suspeita de irregularidades durante as eleições passadas.

As ações dos procuradores, além de Ricardo, envolvem outros cinco governadores. São eles: Fernando Pimental (PT-MG), Camilo Santana (PT-CE), Wellington Dias (PT-PI), Simão Jatene (PSDB-PA) e Waldez Goés (PDT-AM). Ou seja, alguma semelhante ao processo que cassou o mandato de Cássio Cunha Lima (PSDB), que estava no exercício do cargo em 2006.

O pedido de cassação do mandato de Ricardo, também da vice Lígia Feliciano, tem ganhado repercussão nacional. A situação da Paraíba chega a ser mais escandaloso, pois o governador daqui foi notificado por nove ações de investigação judicial eleitoral. Em uma delas, o procurador Rodolfo Alves propõe que a servidora Francisca de Lucena Henriques teria “conclamado prestadores de serviços a apoiarem a reeleição para garantir manutenção de empregos”. Cita também irregularidades em distribuição de kit escolar no Estado.

Em 2006, numa ação interposta pelo PCB – partido da base aliada do então prefeito e hoje governador Ricardo Coutinho -, a Justiça Eleitoral cassou o mandato de Cássio Cunha Lima. À época, a alegação é que ele teria distribuído chefes de um programa social. O valor total seria de R$ 7 milhões.

Como se pode observar, a corrupção está impregnada em todo o setor. Até nas eleições.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.