PMDB de Maranhão defende união; PMDB de Veneziano punição

Senador recém eleito, o ex-governador José Maranhão defende um PMDB unido, já pensando no fortalecimento da legenda para os futuros embates eleitoral. JM discorda do chamado “caças as bruxas”, por entender que “não se faz política dessa maneira. Nós queremos reunificar o partido”, defendeu.

Em entrevista televisiva, Maranhão garantiu que não haverá retaliação e nenhum dissidente peemedebista, nem mesmo aqueles que desobedeceram a orientação partidária, no primeiro e segundo turno das eleições deste ano, na Paraíba, conforme desejo de Veneziano Vital, que andou defendendo punição para os possíveis “infiéis”.

Maranhão destacou o estilo conciliador do vice-presidente da República, Michel Temer, a despeito do assunto relacionado aos dissidentes:

“Na reunião da executiva nacional, eu vi o vice-presidente da República se posicionar contra qualquer tipo de punição aos peemedebistas que tomaram rumo diferente em outros estados como Minas (Gerais) e Rio de Janeiro. Penso da mesma forma e não defendo punição”.

Sobre a punição aos dissidentes defendida por Veneziano, o senador Maranhão declarou o seguinte:

“Respeito o posicionamento do deputado Veneziano, sei que ele mesmo se beneficiou do voto dos infiéis porque foi votado em muitos municípios onde seu irmão não foi apoiado”, concluiu.

%