MPF vai ser provocado sobre uso de presos em campanha dos ‘socialistas’

A Coligação A Vontade do Povo irá entrar com representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o candidato à reeleição, Ricardo Coutinho (PSB), por utilizar presos do regime semi-aberto em atividades de sua campanha. O fato foi denunciado no programa eleitoral do candidato Cássio Cunha Lima (PSDB), na tarde desta sexta-feira, 17, que trouxe o flagrante de presidiários distribuindo panfletos e adesivos de Ricardo Coutinho no bairro de Mangabeira, em João Pessoa.

O coordenador Jurídico da coligação encabeçada por Cássio, Harrison Targino (foto), disse que as imagens mostram que houve abuso de poder político, econômico e de autoridade, cometido pelo atual governador por usar apenados em processo de ressocialização para atuar em atividade político-partidária. Por isso, a coligação irá acionar o MPF e entrar com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije).

Os presos mostrados no guia eleitoral, são integrantes do Programa “O Trabalho Liberta”, do Governo do Estado, e prestam serviço no Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), onde deveriam passar o dia e retornar à prisão no período da noite, para dormir.

Contudo, as imagens mostraram que logo no início da manhã, o grupo de presidiários incluídos no programa de ressocialização, vai para as ruas segurar bandeiras e distribuir material de propaganda do candidato Ricardo Coutinho e da candidata à reeleição, presidente Dilma Rousseff.

“Eles são coagidos para distribuírem panfletos e adesivos nas ruas”, revela o narrador no guia eleitoral, observando que os detentos deveriam trabalhar no Detran-PB, mas são desviados de seu trabalho na repartição para fazer campanha.

As imagens mostram flagras em João Pessoa, no bairro de Mangabeira, de três apenados: Arlindo Odilon de Maria, condenado a 18 anos de prisão por latrocínio (roubo seguido de morte); Durval Mariano Arcoverde, que cumpre 55 anos por latrocínio, homicídio e roubo qualificado, além de Manoel Nunes Pereira, que foi sentenciado pela Justiça a cumprir 16 anos de detenção por homicídio.

À medida em que apresentou os presos, o guia eleitoral exibiu a ficha de cada um dos detentos que estão sendo desviados do programa de ressocialização para fazer campanha para Ricardo Coutinho e Dilma Rousseff. Só depois da panfletagem, os presos vão cumprir sua carga de trabalho no Detran-PB.

Já existem denúncias e Ações na Justiça Eleitoral sobre pressão e ameaças a servidores públicos para o engajamento na campanha do governador Ricardo Coutinho.

Assessoria