Depois da adesão, PSB estuda afastamento do PMDB do seu candidato

Para não transformar uma agenda negativa para Ricardo Coutinho, derrotado na eleição de 5 de outubro, o PSB estuda afastar o PMDB, partido do senador Vital Filho, da campanha no segundo turno. Isso ocorre poucas horas depois do anuncio de adesão de parte do peemedebê ao candidato “socialista”.

A expectativa era que o PMDB viesse somar, mas não foi o que aconteceu. Pelo contrário, o apoio anunciado na presença da presidente Dilma Rousseff, em evento realizado na casa de show Forrock, teve uma repercussão negativa, inclusive provocando o afastamento de ex-aliados da campanha no segundo turno.

Os “socialistas” estão tão cuidadosos que está selecionando lideranças políticas que acompanham o candidato do partido, evitando que Vital e o deputado federal eleito Veneziano Vital, críticos ferrenhos de Ricardo, acompanhem RC em compromissos em alguns municípios do Estado, em especial os considerados de maiores eleitores.

“Acabou a festa! O PMDB já deu a sua contribuição; agora não precisa ficar colado ao nosso candidato”, disse um “socialista” em conversa com aliados da campanha do PSB no segundo turno.

O temor é que essa negociação gere prejuízos eleitorais ao candidato reeleitoral Ricardo Coutinho. Então, a estratégia a partir de agora é quanto mais driblar os peemedebistas melhor.

Como se sabe, além de crítico aos “socialistas”, até então os irmão “Vital” exerceram forte oposição quando estiveram no confronto direto com o candidato do PSB. “A campanha precisa se separar deles”, alertou um aliado da campanha do Partido Socialista Brasileiro.