Santiago diz que adversários admitem que não haverá segundo turno

Wilson Santiago (PTB) perdeu muito tempo em sua campanha para chegar ao Senado Federal, principalmente nesta reta final em que é chamado a explicar um suposto atrito com o candidato Cássio Cunha Lima (PSDB), que disputa o governo da Paraíba. Além disso, Santiago sofreu um revés duríssimo nesta segunda (29): uma encrenca das grandes com à Justiça brasileira. Ou seja, além de queda coice.

Para explicar que ele diz ser boato, Santiago veio à boca do palco para dar os seguintes esclarecimentos: “Fizemos uma aliança política e não eleitoreira e estamos juntos no projeto”. Atribui a onda de espalhar informações irreais aos adversários e tem uma explicação lógica para aqueles que declararam que o candidato a senador na chapa encabeçada pelo PSDB não subirá no palanque num possível segundo turno.

“Os adversários espalham o boato de que não subirei ao palanque no segundo turno, numa clara demonstração que não haverá uma nova eleição depois de domingo, 5 de outubro”, disse. Ele atribuiu a onda de boatos “a pessoas ligadas à mídia e às estruturas do governo”.