TUCANOS BUSCAM APOIO DO PP, PTB E PR; o importante é somar

Faltando seis dias para o encerramento do prazo legal para as convenções partidárias e, conseqüentemente, definição das candidaturas majoritárias e proporcionais para as eleições de outubro, o PSDB age de forma silenciosa nas articulações para atrair o maior número possível de partidos e obter apoio a pré-candidatura do senador Cássio Cunha Lima, que confirma entendimentos com o PP, PTB e PR. Juntas, dariam ao tucano quase 3min de tempo de televisão e rádio.

Os tucanos agem sem que seja incomodado pelo Palácio da Redenção. É que os três partidos já fazem oposição ao governo do PSB, facilitando os entendimentos com o PSDB. Em entrevista, o senador Cássio disse: “No que depender do nosso desejo, teremos esses partidos em nossa coligação”. O martelo deve ser batido nesta sexta (27).

As conversas têm prosperado, mas em termos de definições somente devem acontecer neste final de semana. “Temos conversa com Wilson Santiago e Agnaldo Ribeiro, também pretendemos fazer o mesmo com Wellington Roberto. […] Estamos no caminho certo”, avaliou o senador e pré-candidato Cássio Cunha Lima.

Os três partidos são simpáticos a pré-candidatura do tucano e a presença deles no palanque nas eleições deste ano, na Paraíba, é favorecida porque PTB, PP e PR torcem o nariz para o candidato oficial, sobretudo pelo tratamento que o “socialista” dispensa aos partidos, também aos funcionários públicos e a população em geral, conforme adiantam os próprios representantes do povo na Câmara Federal e Assembleia.

As conversas com o PTB de Wilson Santiago e PP de Agnaldo Ribeiro estão bem adiantadas. Em relação ao PR de Wellington Roberto ainda não aconteceu enquanto o partido anunciar oficialmente o desligamento do PMDB. “Sem dúvidas, temos interesse desse entendimento e o PR será muito bem vindo a nossa aliança”, ressaltou Cássio.

Nos subterrâneos do Palácio da Redenção, o candidato reeleitoral busca atrapalhar as negociações dos tucanos com PTB, PP e PR, mesmo que no passado tenha tratado esses partidos a “tapas”. Mas diante a necessidade esquece-se tudo. O que vale é diminuir o tamanho do adversário, um sacrifício que envolve esforços tentadores.

É bom lembrar que o PSDB já conta em sua coligação com o PPS, Solidariedade, PRB, PEN, PTN e PEN.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.