CRISE PODE INVIABILIZAR ALIANÇA dos petistas com os peemedebistas

Os petistas paraibanos estavam buscando um motivo para não se aliar ao PMDB nas eleições de outubro e encontrou na crise envolvendo o deputado petista Anísio Maia, que entregou a liderança as oposições na Assembleia alegando pressão dos colegas peemedebistas Trocolli Júnior e Gervásio Maia Filho. Anísio acaba de ser respaldado pelo prefeito Luciano Cartaxo, hoje principal liderança do Partido dos Trabalhadores, na Paraíba.

A crise chega numa hora “inoportuna”, principalmente para o PMDB que tenta atrair o PT para uma aliança nas eleições paraibanas de outubro. Neste sábado (12), o petismo se encontra no Congresso Estadual para a definição das teses existentes internamente no partido, que é de candidatura própria ao governo e de coligação com a pré-candidatura a governador de Veneziano Vital.

Pois bem, o clima azedou por causa do conflito pela liderança da bancada de oposição, antes ocupada pelo petista Anísio Maia, que denunciou os peemedebistas Trocólli Júnior e Gervásio Maia de “negociar” votos para beneficiar o empresário dono do Shopping Manaíra. Os peemedebistas contestam.

Se havia harmonia entre os dois partidos pode ter acabado por causa do episódio Anísio/Trócolli/Gervásio. Veja o que disse o prefeito Luciano Cartaxo: “É ruim! Quem quer o apoio do nosso partido vai brigar com o nosso partido? Anísio vem cumprido o seu papel na Assembleia e uma relação como essa não ajuda de forma alguma”.

Sem discussão – Quando perguntado se o PT aceita a vaga de vice na chapa peemedebista, Cartaxo considerou como “página virada” o assunto. “Estivemos duas vezes nesta condição e, quando resolvemos ser protagonista vencemos as eleições […]. Então, essa definição não está posta”, concluiu.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.