Você é funcionário público da PB? Prepara-se que poderá ser demitido

O governo está em polvorosa com os servidores públicos do Estado, a quem considera como o grande responsável pela crise financeira de momento. Os investimentos estão sendo possíveis graças aos recursos provenientes de empréstimos com o BNDES, celebrados nos governos Cássio e Maranhão III. Também com a União.

A preocupação é tanta que o Tribunal de Contas do Estado – sempre esse órgão – já prepara colocar a cabeça de 41 mil servidores na bandeja e enviar ao Palácio da Redenção para serem demitidos numa única canetada. Para não cometer injustiça, é bom lembrar que em alguns casos será necessária a demissão.

Refiro-me a aqueles servidores que tem um, dois, três… Chegam a dez contracheques. Esses, se não estiverem acobertados pelos artigos da Constituição, devem perder os cargos que ocupam em excesso. O governo já está dando a senha que vai “demitir”, quando joga ao meio-fio que a situação é “crítica”.

Mas demissão não é problema para o atual governo, porque já foi feito isso nesta gestão, quando mais de 16 mil funcionários, alguns com 15 e até 20 anos ocupando postos foram para o olho da rua. Quer dizer, demitir 41 mil não seria problema para o governo “socialista”. Só faria falta mesmo para o bolso dos funcionários atingidos.

                                demissao

Anote: agora não, mas na hipótese de reeleição do governador Ricardo Coutinho vai haver um enxugamento da máquina na área dos servidores públicos jamais vista na história da Paraíba. O governo Burity vai perder. E olha que naquela época, foram demitidos 29 mil.

Desta vez deverá atingir mais de 50 mil. Ao menos foi o que revelou uma alta fonte do governo “socialista”, que não fez nenhum segredo para contar ao signatário do blog que com apenas 40 mil servidores a máquina funcionaria tranquilamente. Hoje, 120 mil funcionários estão na folha.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.