O espinho que fura é o mesmo que joga Cássio e o PSDB no lixo

espinhos

Isso mesmo, na lata do lixo. Assim cuidou de fazer o presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, ao declarar agora a pouco, em entrevista ao repórter Fernando Braz, da Arapuan, que o seu partido não depende do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) para ganhar as eleições de 2014.

Foi, no mínimo, presunçoso. Também ingrato, pois o chefe de Rosas só está no poder graças a Cássio e ao PSDB. Fez isso a mando do chefe dele. Antes de ir direto ao assunto, quem não lembra que Edvaldo chamou tucanos que defendiam o rompimento da aliança de 2010 de “bajuladores”.

Rosas só não jogaria no meio-fio o que disse na manhã desta quinta (5) sem o aval do governador Ricardo Coutinho. Instado a falar sobre os boatos da candidatura de Cássio ao governo e se tinha havido conversa neste sentido com o chefe do Executivo estadual, afirmou o presidente do PSB da Paraíba:

“Nem disse a mim, nem disse ao governador, nem ao partido (PSB)…”.

“… Nós temos um projeto nacional, imagina estadual”, disse Edvaldo Rosas que não valia que se Cássio for candidato ao governo, o chefe dele não teria condições de fechar uma chapa com candidaturas a vice e Senado Federal.

Mas, enfim, o presidente Edvaldo Rosas não teria autoridade nenhuma para falar da movimentação do senador tucano sem que tenha obtido o aval do governador.

Ouça

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.