Senador Cícero aponta falência da política de segurança pública da PB

cico

Em discurso do alto da tribuna do Senado da República, o senador Cícero Lucena (PSDB) fez uma crítica que já é do conhecimento dos paraibanos, que é a “falência da política de segurança pública da Paraíba”.

De acordo com o parlamentar, nos últimos anos o número de assaltos a estabelecimentos comerciais em João Pessoa vem “crescendo assustadoramente”, chegando, por exemplo, a 101 ocorrências em postos de combustíveis de janeiro até a segunda semana de agosto deste ano.

Em razão do grande número de assaltos, informou o senador, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba, recomendou, inclusive, a  seus associados, o fechamento dos postos às 18h, numa tentativa  de reduzir os prejuízos.

Cícero Lucena disse ainda que bancos e farmácias em João Pessoa estão sendo igualmente castigados pelos assaltos. Segundo ele, os proprietários de farmácias também estão propondo o fechamento desses estabelecimentos às 20h.

— Não quero acreditar que o toque de recolher do crime está imperando no comércio de João Pessoa – protestou.

O senador cobrou ainda as promessas de campanha do atual governador da Paraíba. “Prometeu contratar cinco mil homens, prometeu contratar todos os concursados imediatamente, prometeu instalar câmeras de vídeo, prometeu pagar um salário digno aos policiais, prometeu, prometeu, prometeu, e nada cumpriu. Tudo isso está no programa eleitoral. É só acessar o Youtube”, discursou Cícero.

Ele também questionou o pagamento da gratificação do risco de vida para policiais e bombeiros do estado. A demora no pagamento no benefício para estes profissionais tem causado, relatou Cícero Lucena, grande descontentamento entre os membros das duas categorias. “É o único estado do Brasil que não paga essa gratificação que é um direito constitucional”, denunciou ao citar a gratificação de apenas R$ 50 reais para o policial motorista de viatura.

Lucena também prestou solidariedade aos familiares do policial morto em Campina Grande, Noaldemir Alves Borges. O senador concluiu cobrando a votação da PEC 300 em segundo turno, além da PEC 27 – de sua autoria – que indeniza as famílias de policiais e bombeiros mortos em decorrência de sua atividade profissional.

Cícero colocou sua emenda de bancada do Orçamento Geral de 2014 à disposição dos prefeitos das maiores cidades e do Governo da Paraíba, para aplicação na área de tecnologia da informação no setor de segurança pública.

Assessoria/Agência Senado

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.