Com essa turma do chefão Ricardo e Daniel Gomes ninguém brinca

A organização criminosa instalada na Paraíba durante o governo do ex Ricardo Coutinho, hoje ex-presidiário, envolveu dois ministros do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fuz e Luís Roberto Barroso.

Veja o grau de periculosidade dessa turma, que atuou para evitar a cassação do então governador no caso da Aije Fiscal, julgado pelos ministros Fux e Barroso que estavam a frente do TSE, em Brasília.

Neste julgamento, Ricardo se livrou da punição da lei da “ficha suja” e, com isso, prosseguiu com o trabalho da organização criminosa. Ao lado de Daniel Gomes, operou para não ser cassado pelo TSE.

À época presidente do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Fuz negou provimento ao recurso, sendo acompanhado pelo relator Napoleão Nunes, Jorge Mussi, Ademar Gonzaga, Tarcísio Vieira e Luís Roberto Barroso.

Somente a ministra Rosa Weber deu provimento parcial ao recurso em seu voto, o que significa dizer que o esquema funcionou e Ricardo Coutinho, Daniel Gomes e Gilberto Carneiro acharam que ficariam felizes para sempre.

Mas num dos áudios de Daniel Gomes conversando com Coutinho veio à tona a trama, que colocou todos, inclusive os dois ministros do STF, numa vala comum.

A Calvário, assim como a Lava Jato, veio para ficar e por muito tempo. Aleluia!

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.