Governo se move para votar logo a MP dos servidores

Na crista da onda da crise, sopram ventos contrários aos servidores públicos estaduais, alvos prediletos da falta de dinheiro para obterem quaisquer benefícios em seus contracheques. É perigoso se concentrar só neles, mas a notícia que o funcionalismo, em especial, segue com a leitura é que a Medida Provisória suspendendo, por exemplo, a data-base para o reajuste de seus vencimentos entra na etapa de votação nesta terça-feira (14).

Para os deputados governistas medidas amargas como essa não deveriam ser apreciadas, pois coloca-os em posição de confronto com funcionários. Por outro lado, o governo precisa dá sequência aos investimentos, fazer funcionar os serviços a sociedade… Mas, enfim, a MP deverá ser votada na próxima semana em meio a um clima totalmente desfavorável, seja para os servidores ou o sistema governamental.

O Palácio da Redenção, concentrado na Praça dos Três Poderes, pede pressa e o legislativo não tem como segurar. “O jeito é votar, mas creio que vamos ter desfalques”, prevê um parlamentar da base do governo em conversa com o signatário do blog. Disse que é o tipo de matéria que não deveria ser apreciada por parlamentares. Porém, reconhece que as responsabilidades precisam ser divididas.

Mas é o preço para quem é governo, principalmente quando abaixa a cabeça para tudo e está sempre proclamando “amém!”. Governo e governistas devem andar juntos, assim como luz e sombra.