João Alves inova com transição antecipada de gestão no TRE

O desembargador João Alves deu um exemplo de administrador moderno ao se preocupar com a continuação de sua gestão à frente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), injetando um ato que deveria ser comum nas administrações do Poder Judiciário. No entanto, não foi colocado em pratica pelo antecessor naquela Corte.

Quando assumiu a presidência da Corte Eleitoral da Paraíba, prestes a entregar ao sucessor e colega de magistratura José Aurélio, Alves sequer foi informado quantos andares existiam no prédio-sede do tribunal.

Pelo jeito foi um ano de dificuldade, mas de superação em todos os sentidos. Tanto é verdade que há três meses da conclusão do período à frente da presidência do TRE,  Alves colocou-se à disposição para fazer a transição do cargo. “Espero que seja assim a partir de agora”, disse.

Enxuto, o Tribunal se prepara para mais uma eleição municipal e o desembargador-presidente repassou o planejamento das ações a serem desenvolvidas futuramente. É assim que precisa ser feito, até para facilitar a gestão do futuro dirigente que sucederá sabendo quantos andares existem no prédio-sede da Corte.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.