Governo corta R$ 70 milhões da UEPB e estudantes são os maiores prejudicados

Deu a louca ou o governo estadual usa de práticas antigas para tentar atingir a Universidade Estadual da Paraíba, depois que anunciou o corte de mais de R$ 70 milhões no orçamento para 2015? A medida é bem parecida com aquela que provocou o fechamento de mais de 200 escolas públicas. Esse é o compromisso com a Educação? Outra pergunta que não quer calar.

Se o governo quer chamar a atenção faltando poucas horas para o eleitor chegar as urnas, por alguns instantes conseguiu. O reitor da UEPB, Rangel Júnior, reagiu imediatamente quando veio à boca do palco para tomar uma posição que nenhum estudante prestes a entrar na universidade gostaria de ouvir.

Pois bem. Por causa desse corte anunciado pelo governo estadual, o reitor Rangel Júnior disse que, além do prejuízo financeiro, também haverá prejuízo para os estudantes, já que obrigatoriamente a UEPB terá que diminuir em 50% o número de vagas no próximo vestibular para o ingresso na Universidade Estadual da Paraíba.

Desde a instalação do governo “socialista” que a UEPB vem acumulando prejuízos em decorrência dos cortes, algo em torno de R$ 250 milhões, comprometendo o funcionamento da instituição. Reunido para avaliar a decisão, o Conselho Universitário (Consumi) aprovou a redução de vagas para o próximo vestibular.

Outra decisão do Consuni é de não renovar os contratos dos professores substitutos, a partir de janeiro de 2015. É assim. Enquanto isso, a Educação segue cada vez mais capenga neste governo que usa de práticas antigas.

Versão do governo

Através do secretário estadual de Planejamento, Thompson Mariz surgiu a versão do governo para o corte. “Eles pediram um valor acima do que o Estado pode atender, bem acima de todas as inflações de países desorganizados. O que está acontecendo é um ato político. Estão politizando a UEPB”.

É bom lembrar que, assim como o governo fechou mais de 200 escolas, planeja quebrar a autonomia conquistada pela Universidade Estadual da Paraíba.