RC não explica atraso e nem superfaturamento da obra

Ao atacar o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) por causa do embargo da Perimetral Sul, uma obra iniciada em 2013 e sem ter data para ser concluída, o governador Ricardo Coutinho (PSB) pousa de ingrato. Sim, porque se reelegeu com a ajuda do gestor do maior colégio eleitoral do Estado.

Nesta segunda-feira (16), Coutinho foi a Perimetral dias após o embargo da obra pela Prefeitura, através da Seman (Secretaria Municipal do Meio Ambiente), e chegando lá criticou a ação dos fiscais municipais. Porém, ao invés de agir assim deveria explicar os motivos como projeto orçado em R$ 6 milhões teve um salto superior a R$ 18 milhões.

Critica o gesto da Prefeitura para desviar a atenção para o superfaturamento da obra. O governador, no entanto, sofreu um duro golpe do secretário Josival Pereira (Comunicação de João Pessoa) ao afirmar que “o governador tenta esconder o verdadeiro debate em torno de uma obra iniciada em 2013, talvez para justificar o seu atraso”.

Pereira matou a charada: “E não é a primeira vez que o Governo do Estado tenta transferir para terceiro este atraso”.

Isso tem um nome: fim de festa.