Nota: ‘Não concordamos com ação privatista da educação’

Devagarzinho, o PT vai se distanciando do Governo Ricardo Coutinho (PSB). O que passou a incomodar os petistas paraibanos, além da presença do DEM na base aliada do governista socialista, é a lei de terceirização do ensino público do Estado, instituído pelo chefe do Executivo da Paraíba.

Em nota, os petistas denunciam não apenas o processo de terceirização, através da entrega de “mão beijada” a uma Organização Social (OS), como também o fechamento de mais de 380 escolas estaduais, conforme exposto no texto em que protesta a decisão do governista socialista.

A reação do Diretório estadual veio imediatamente o que consideram de “ação privatista” do setor educacional na opinião do presidente recém empossado Jackson Macedo. Segundo ele, “não pode deixar de se posicionar contrário a um ato (terceirização) que não concordamos como essa que está sendo promovida na educação do Estado”.

O escrito destaca, ainda, que “defendemos que o Governo do Estado suspenda o processo licitatório e convoque um fórum de discussão democrática com a participação das instituições ligadas à defesa da escola pública para a construção de uma proposta alternativa, que aponte para a melhoria da gestão sem ferir o caráter público das escolas e que respeite os direitos dos trabalhadores em educação.”

Governo do PT – Por outro lado, elogia, como contraponto à terceirização, iniciativas dos Governos Lula e Dilma, para a melhoria do ensino público, como a criação do Fundeb, do piso salarial nacional docente e a expansão das universidades e institutos federais de educação, além da aprovação do novo PNE (Plano Nacional de Educação) e do Fundo Social do Pré-Sal.