De superfaturamento a falta de licença ambiental

Por falar na Perimental Sul, é uma obra que teve um custo inicial de R$ 6.523.992,11 e logo depois, como um passo de mágica, passou para R$ 18.616.005,81. Como pode? Fazendo as contas, esse segundo valor é quase três vezes maior do que o custo inicial de uma obra, que volta a ter problemas sérios.

O projeto é do Governo do Estado, que sempre quis está acima da lei e, por isso mesmo, não leva em consideração a licença ambiental. Por causa da falta dela, os fiscais da Semam (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) notificaram a Construtora Fênix. Alegou ausência da licença no canteiro.

A propósito a cerca dos problemas, vem desde a denúncia de superfaturamento e qualidade da obra de responsabilidade do DER e Governo do Estado. Conforme noticiado, a questão do aumento do valor da obra é inconcebível se levado em consideração que a inflação não passou de 18%.

Recordando, a denúncia sobre superfaturamento e paralisação da obra foi feita pelo radialista Maurílio Batista , através das redes sociais. Em forma de protesto, disse que “num País sério, alguém já teria sido responsabilizado por tamanho descalabro com o dinheiro público”.

Para o repórter, “a continuar nessa batida, essa obra, quando for terminada, se for terminada por esse Governo (PSB), vai passar de R$ 100 milhões”.