Corrupção tem cura? Para presidente do TCE ‘tem sim’

“Corrupção é uma doença grave e tem cura”. Quem falou não foi o juiz Sérgio Moro, mas sim o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro André Carlo Torres. A frase foi pronunciada durante entrevista concedida ao programa Frente a Frente, do Sistema Arapuan de Comunicação, na noite passada.

Deu-se quando questionado sobre a onda de corrupção que enlameia o país inteiro. Carlo, no alto de uma autoridade do comando de um órgão fiscalizador da aplicação correta dos recursos públicos, subiu o tom: “É como aquela doença que tem cura e você descobre, mas fica contente porque sabe que tem cura”.

E voltou para o centro do palco: “Na minha visão de cidadão, a transparência, os meios de comunicação e as formas mais fáceis de captar informação elas fazendo emergir e chega a corrupção que assola e assolou o Brasil”.

A propósito do presidente-conselheiro do TCE, ele está dando uma grande contribuição a transparência do Estado, já que o governo não está fazendo o dever de casa neste item. Divulgou a relação dos super-salários de servidores da Paraíba, além de ter sido responsável pela divulgação do “listão” dos codificados.

Em relação a esses quase 9 mil beneficiários, saiu da esfera de fiscalização e virou caso de policia mesmo. Lamentável é saber que o Ministério Público do Estado não faz sua parte. “Institucionalmente, o TCE oferece ao MPE senhas para que os promotores de Justiça tenham acesso privilegiado a ações que temos; às vezes só internamente”, concluiu.