Servidores trocam local de trabalho pelo asfalto

Roberto Feliciano (PSB), prefeito de Sapé, não se deu conta de que o asfalto fala mais alto. Sindicalistas, representantes de diversas categorias dos servidores do município organizaram um protesta nesta manhã de terça-feira (17).

Os trabalhadores alegam que a gestão municipal nega os seus direitos. A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sapé, Zilma Maria dos Santos, disse que a entidade vai aguardar um contato para negociar.

Caso não aconteça o encontro, a entidade promete esquentar ainda mais o asfalto. Lembra que já houve uma reunião com o prefeito Roberto e a irmã Graça Feliciano, secretária de Administração do, que alegou dificuldades financeiras para atender os pleitos.

“Nós sabemos que o número de contratados e a folha de pagamento do município são enormes. Basta ver o Sagres ou o próprio site da Prefeitura. Não tem como justificar que não tem condições de realizar o pagamento dos nossos direitos”, declarou Zilma.

A pauta do Sindicato cobra o “descongelamento do anuênio e da ascensão funcional, além do pagamento atrasado do pessoal de apoio, adicional noturno, no terço de férias”.

E mais: reclamam que não estão recebendo “adicional de insalubridade, de produtividade, adicional de periculosidade e gratificação de educação especial”.

Além: “atraso no repasse às instituições bancárias dos valores retidos em folha de pagamento a títulos de empréstimos consignados”.

O caminho é o asfalto mesmo.